SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS - SERVIÇOS AMBIENTAIS?

A categoria analítica ambiental de Serviços Ecossistêmicos ganha um forte incremento conceitual ao iniciar a Avaliação Ecossistêmica do Milênio (AEM), mas apesar de integrativa, esta categoria científica necessita de aprofundamento com relação aos serviços culturais.

A Avaliação Ecossistêmica do Milênio (AEM) é um projeto de pesquisa realizado sob os auspícios das Nações Unidas que envolveu cerca de 1.360 especialistas de cerca de 100 países, se constituindo no marco de referência mais amplamente utilizado para a compreensão dos serviços ecossistêmicos e as suas relações com o bem-estar humano.

Os serviços ecossistêmicos são os benefícios que as pessoas recebem dos ecossistemas. Estes incluem serviços de produção como alimento e água; serviços de regulação como regulação de enchentes, de secas, da degradação dos solos, e de doenças; serviços de suporte como a formação dos solos e os ciclos de nutrientes, e serviços culturais como o recreio, valor espiritual, valor religioso e outros benefícios não-materiais”.

Esta abordagem é antropocêntrica e integrativa, no entanto, necessita de aprofundamento com relação aos serviços culturais. Na maioria das vezes, os serviços culturais são classificados como estéticos, espirituais, educativos e recreativos, muito simplificada com relação aos serviços antrópicos dos ecossistemas.

Em cidades, os serviços de abastecimento de água, de energia elétrica, tratamento de esgoto, de resíduos, as praças e parques, jardins e ruas arborizadas, sistemas viários qualificados também oferecem serviços ao bem-estar humano, atuando, inclusive, na melhoria da saúde ambiental das cidades.

Ao se considerar um modelo conceitual de sustentabilidade urbana, o sistema socioeconômico provém uma variedade de bens e serviços ambientais importantes para o desenvolvimento e bem-estar social, podendo estes, ser denominados de serviços antrópicos ao invés de culturais como se tem utilizado, ou pelo menos, necessitam ser aprofundados.

Ao nosso ver, a categoria analítica de Serviços Ambientais proposta pela Hygeia Socioambiental, tem tornando mais abrangente esta categoria científica. Ao analisar os serviços ecossistêmicos culturais como serviços antrópicos, baseados nos sistemas urbanos sustentáveis, alcançamos um pensamento mais abrangente e totalizador.

A abordagem de serviços ambientais integra os serviços ecossistêmicos utilizados internacionalmente com o pensamento de serviços antrópicos, em uma análise de sistemas ambientais, permitindo com que os sistemas ecossistêmicos e antrópicos se transformem em um sistema integrado. Durante as análises ambientais, ao elencar os inputs e outputs de matéria e energia de uma determinada ação/relação sociedade/natureza, logra-se uma visão mais totalizadora, possibilitando ações de desenvolvimento mais sustentáveis.

A Hygeia Consultoria Socioambiental possui experiência técnica comprovada em dezenas de projetos de Planejamento e Gestão Territorial e Ambiental incluindo abordagens de serviços ambientais em seus diagnósticos e prognósticos. Caso você necessite de Consultoria Técnica Especializada em Serviços Ambientais nos contate em Fale Conosco.

Fechar Menu